opinião

Published on dezembro 8th, 2014 | by klozz

0

Vivemos em uma sociedade movida a sal e açúcar.

O consumo recomendável de sal por dia é de  5g por dia (1,7g de sódio (ou 2000mg)) enquanto o de açúcar deve corresponder a 5% das calorias ingeridas por dia, o equivalente a 25 gramas (levando em conta uma dieta de 2.000 calorias diárias recomendadas para um adulto).
 .
Será que esse valor chega a ser respeitado no nosso dia a dia?
 .
É claro que não 😛
 .
Até porque pra extrapolar a sua meta diária de açúcar por exemplo, basta comer 7 biscoitos recheados (ninguém come somente um biscoito depois que abre a embalagem ).
quantidade açúcar biscoito

Ou apenas tome uma lata de coca-cola e mande a recomendação diária para a pu#$ que #$%@!
quantidade açúcar coca-cola

E para mandar a sua taxa de sal para o espaço, basta comer um sanduíche de almondega da subway de 15 cm, mais um pouquinho de batata frita e tchau.
article-0-0499C170000005DC-322_468x185_popup

E aqui vai um extra, lembrando que 2000mg é o recomendável para o dia.
xtabela-1-1-641.png.pagespeed.ic.NKYNqFyL4h
O brasileiro consume cerca de 12 gramas de sal todo santo dia, ou seja, quase 2,5 vezes mais do que é recomendado pela Organização Mundial da Saúde.  Um dos primeiros efeitos de ter tanto sódio correndo pelo corpo é a retenção de água e, de quebra, um aumento no volume de sangue circulante. As artérias não estão acostumadas a abrir passagem para tanto líquido. Eis por que a pressão exercida na parede dos vasos é intensa (veja o infográfico abaixo). Para piorar, o excesso de mineral também contribui para a constrição desses vasos, reduzindo seu espaço interno. “Com o tempo, a pressão alta pode danificar as artérias dos órgãos vitais, como coração, cérebro e rins. Daí, cresce o risco de infarto, derrame e insuficiência renal crônica”, explica o nutrólogo Paulo Henkin, da Associação Brasileira de Nutrologia, a Abran.
img_7ylsj4152__revista_sal
Quando ingerimos açúcar em excesso (seja através dos cereais e frutas ou diretamente através do açúcar refinado, balas e doces) o pâncreas, glândula responsável pela produção da insulina, fica sobrecarregado, já que a insulina é um hormônio que transforma o açúcar (sacarose) em glicose. O excesso de glicose vira gordura e se acumula no organismo, causando doenças cardio-vasculares, obesidade, diabetes e hipertensão arterial, dentre outras. (Se você não é hipocondríaco confira a galeria abaixo para mais informações sobre os males do açúcar).

Clique nas foto para ver maior em uma nova janela e sem corte 😉

Pelo visto é um pouco difícil evitar passar dos valores recomendáveis pela OMS e por ventura evitar as doenças causadas pelo alto consumo desse de sal e açúcar.

Creio que o motivo de consumi-los tanto se deve simplesmente pelo fato de que eles deixam nossa comida mais saborosa e a industria do alimento exagera na quantidade usada de ambos com o intuito nobre de vender mais. (mais sabor = mais vendas).
Por sinal, de um tempo pra cá essa fórmula de sabor e venda foi bastante afetada. Alguém aqui se lembra da gordura trans? Aquela gordurinha gostosa que aumenta risco de doenças cardiovasculares, diabetes e AVC, mas que dava todo um sabor especial aos biscoitos, salgadinhos e etc.
Pois é, a Indústria reduziu em 94,6% gordura trans em alimentos (Resultado é referente a metas de 2007), para compensar a perda de sabor a indústria teve que se virar para desenvolver novos métodos de confecção de seus produtos  e ninguém morreu por causa disso, arrisco até dizer que alguns produtos ficaram mais gostosos.

O motivo do cerco ter fechado para a gordura trans foi somente um: Saúde.
E porque o mesmo não é feito para reduzir a quantidade de sal e açúcar nos alimentos industrializados?

Na verdade já está sendo feito, mas a passos lentos.

A ABIA (Associação Brasileira das Indústrias da Alimentação), a mesma responsável por reduzir a quantidade de gordura trans nos alimentos, tem planos de reduzir pelo menos 20 mil toneladas de sal até 2020 e tinha planos de reduzir o açúcar em até 30% (2001 a 2011). Todo o plano de redução da ABIA pode ser conferido nesse link (ao clicar vai baixar um PDF), um link extra sobre o assunto.

Quanto ao sódio o primeiro objetivo foi que as marcas ajustassem a quantidade de sódio a uma média, evitando os excessos que eram encontrados em alguns produtos. Hoje, 95% das empresas associadas à ABIA estão com os valores dentro da média, contra 38% no início de 2011. Mas essa medida não afetou todos alimentos, a redução foi feita em apenas 3: Bisnaguinhas, pães de forma e macarrões instantâneos.

E quanto a redução de açúcar em até 30%, ela ainda não se concretizou (ou pelo menos não achei nenhum dado sobre a redução de açúcar na industria, se você tiver algum dado, por favor passe que atualizo o post ), tanto que nesse ano (2014) cientistas e médicos estão promovendo no Reino Unido uma campanha chamada “Action Sugar“, que  propõem pressionar o governo e a indústria a cortarem o açúcar contido nos alimentos e bebidas em até 30%.

Seja lá como for, ainda tem muita coisa para ser feito na industria de alimentos para diminuir a quantidade de sal e açúcar.

Como boa parte do nosso consumo de sal e açúcar são provenientes de produtos industrializados, creio que o mais recomendável seja justamente evitá-los, ou ficar sempre de olho nas informações contidas nas embalagens 😉

É isso pessoal, Se vocês quiserem se informar mais sobre o assunto, vou deixar alguns links no fim do post.

Fontes:

Terra: Campanha prevê corte de até 30% do açúcar em alimentos industrializados
ZH Vida: Redução de sódio nos alimentos deve ser mais severa, diz nutricionista
Doutor Leonardo
Sugar Stacks: Pra saber a quantidade de açúcar nos alimentos de forma visual
Daily Mail
Sociedade Brasileira de Hipertensão
Espaço Nirvana
Albert Eisten
Portal da Saúde
Veja
Integras
Mais 
Equilíbrio

Tags: , , , , , , ,


About the Author



Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back to Top ↑