Games no image

Published on outubro 19th, 2009 | by Colaborador Acidulante

0

MMOG: Microtransação – A Bênção-Maldição

Primeiramente, bem-vindos ao Acidulante.
Como primeiro post, irei me apresentar brevemente:

The_Platypus

Ornitorrinco

Eu sou Pedro Willadino, e estarei postando no Acidulante matérias sobre Games. As matérias incluem novidades, reviews, reflexões e discussões.
Pedro Willadino é formado em Análise e Desenvolvimentos de Sistemas na UNIBRATEC, e pretende seguir o ramo de Jogos Digitais em um futuro breve.

Tentarei, a cada quinzena, aproximadamente, postar uma matéria como esta que estou apresentando, um tema reflexivo/discussivo que aborda o cenário dos games na atualidade, sejam tecnologias, tendências, plataformas, etc. Entre estes tipos de posts, estarei informando à comunidade novidades em geral. Apresentando então minha primeira matéria: A microtransação nos MMOGs atuais.


MMOG: Microtransação – A Bênção-Maldição

Os MMOGs (Jogos Online de Participação Massiva) atualmente são uma gigante fatia do mercado de games mundial, gerando uma quantidade absurda de dinheiro, de várias formas diferentes. As mais comuns são a mensalidade fixa e a polêmica microtransação.
A microtransação veio para ficar, isto todos sabem. No entanto, ainda falta saber se ela vai causar mais males que benefícios, tanto para os jogadores quanto para os desenvolvedores. A linha entre a microtransação interessante e a depravadora é tênue, e alguma hora irá chegar ao jogo que ainda não o tem.

Você ouve de algum amigo uma dica de um jogo grátis, muito legal e interessante, e decide tentar. Baixa, se registra, e começa a jogar. Você percebe que ainda não é tão bom quanto todos, mas ainda é iniciante. Após algumas horas/dias, você começa a imaginar que deve ter algo estranho. Você nunca viu aquela arma gigante do oponente para comprar, não sabe porque aquele outro é tão rápido, entre outras muitas vantagens que são claras agora, e que antes não eram. Após procurar um pouco, você descobre: Tudo aquilo que está acima de você deve ser comprado com dinheiro real. Você está em um MMOG que é baseado em microtransações.

landmass

Landmass: MMOG puramente baseado em microtransação: Você paga mais, você mata mais.

Você só chega até tal ponto quando joga de graça neste tipo de jogo. Logo uma bifurcação acontece: Ou você decide parar de jogar por frustação, ou começa a comprar itens, que normalmente são temporários. Após bastante tempo, a soma que você gastou começa a se acumular, mas você pode não perceber. Essencialmente, é um jogo-leilão: Quem tem mais dinheiro tem mais chances de ganhar. As quantias podem chegar a ser assustadores por vários benefícios que vencem em um mês.

Esta espécie de jogo nem é tão desprezível e/ou odiada quanto o que a base de jogadores considera o pior que pode vir: O jogo que soma uma mensalidade fixa e possui um sistema de microtransação capaz de desbalancear o jogo. Sutilmente, vão aparecendo benefícios nem tão grandes para os que querem gastar uma grana extra, mas com o tempo, quando os produtores percebem que sempre tem quem compre, mais benefícios vão aparecendo, até que para se manter em um nível competitivo, qualquer um é obrigado a adquirir tal item ou tal benefício. A base de usuários pode diminuir, mas contanto que o lucro cresça, os produtores não se importam.

Ragnarok Online: Quer sobreviver atualmente? Além de mensalidade, você vai ter que desembolsar grana por itens.

Ragnarok Online: Quer sobreviver atualmente? Além de mensalidade, você vai ter que desembolsar grana por itens.

Há, no entanto, os jogos que conseguem trazer a microtransação para um jogo que já cobre mensalidade fixa, mas o que a microtransação proporciona é incapaz de realmente dar um benefício concreto, em termos de balanceamento, ao usuário. É o caso de trocar de um servidor, mudar a aparência, mudar o nome, itens meramente decorativos, entre várias outras coisas que vários jogos proporcionam. É algo que muitas pessoas irão usar, darão dinheiro para os produtores e deixam todos felizes, tanto os que não usufruem quanto os que usufruem.

World of Warcraft: Mensalidade fixa e inúmeros benefícios vindos da microtransação. No entanto, benefícios que não machucam o balanceamento.

World of Warcraft: Mensalidade fixa e inúmeros benefícios vindos da microtransação. No entanto, benefícios que não machucam o balanceamento.

Battlefield Heroes: MMOG-exemplo de harmonia entre o grátis e microtransação.

Battlefield Heroes: MMOG-exemplo de harmonia entre o grátis e microtransação.

Não poderia deixar de comentar um belo exemplo recente de um MMOG que é grátis, traz um sistema de microtransações e não deixa de ser justo com quem decide não pagar: Battlefield Heroes. Os benefícios trazidos no jogo são em sua maioria decorativos, além de outros que fazem ganhar mais dinheiro (do jogo), ou mais experiência, etc. No entanto, os itens importantes, como armas e itens de suporte, são exclusivamente comprados com o dinheiro ganho dentro do jogo, o qual não é passível de câmbio com dinheiro de verdade. Pode parecer algo arriscado, e realmente foi, mas quando um jogo proporciona prazer para as pessoas, e possui um sistema que não é invasivo, frustrante e além de tudo, divertido, faz com que os jogadores se sintam à vontade para contribuir e ajudar a empresa a fazer mais jogos como aquele. Com uma base de jogadores superior a 2 milhões, Battlefield Heroes, trazido pela EA, informou que a média de gasto de cada jogador é de 15 dólares, e é provável que suba. Dando lucro, publicidade e fama para a EA, Battlefield ainda diverte seus jogadores e aumenta o respeito deles pela empresa, que é conhecida por alguns escândalos, principalmente envolvendo DRM (Digital Management Rights – O típico software anti-pirataria invasivo).

Desenvolvedores de MMOGs por todo o mundo devem ver este avanço significativo como um sinal positivo, não somente em jogos grátis, mas sim como uma visão de que é possível lucrar mais que a taxa mensal cobrada, além de divertir mais ainda sua base de usuários, virar um símbolo de boa política e trazer mais jogos interessantes, em um cenário em que todos saem ganhando.


About the Author



Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back to Top ↑